domingo, 18 de junho de 2017

ABETRE: Entidade afirma que país teve pouca evolução na Política Nacional de Resíduos Sólidos

Foto: Reprodução/Assessoria
O Brasil pouco avançou na consolidação da Política Nacional de Resíduos Sólidos.
Embora a matéria tenha sido um marco em termos de regulação, o país ainda carece de fiscalização para o seu efetivo cumprimento.
A afirmação é do presidente da Associação Brasileira das Empresas de Tratamento de Resíduos e Efluentes (ABETRE), Carlos Fernandes (foto).
Para o executivo, o principal desafio é a adoção de medidas de equilíbrio financeiro para a gestão correta de resíduos e a consequente erradicação dos lixões, salienta texto vindo da assessoria de imprensa da Associação.
A ABETRE destaca os cinco maiores desafios do setor de resíduos no Brasil: Sustentabilidade financeira para limpeza pública; Regionalização da gestão de resíduos urbanos; Erradicação dos lixões com novos aterros; Sistema de controle de resíduos industriais; e, Prazos e metas para a logística reversa
Fundada em 1997, a ABETRE congrega as principais empresas especializadas em tecnologias de proteção ambiental em resíduos sólidos e efluentes líquidos, tais como disposição em aterro, coprocessamento, incineração e outros processos físicos, químicos e biológicos.
As unidades operacionais de suas associadas e coligadas representam cerca de 25% das plantas em operação, 60% do segmento de resíduos urbanos e 80% do segmento de resíduos industriais em relação aos serviços de destinação prestados por organizações privadas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário